• Jornal Abaixo Assinado

Viva à luta da Mulher


ACORDA MULHER

JAAJ NA LUTA COM A MULHER

NOSSA HOMENAGEM EM FORMA DE REFLEXÃO DOS PROBLEMAS VIVIDOS PELA MULHER BRASILEIRA  

8 de Março – Dia Internacional de Luta da Mulher

*Texto de Regina Prado

Primeiro preciso dizer que é muito bom ter um dia especial para sermos homenageadas, desculpe a falta de modéstia. Esta homenagem é mais que merecida, em forma de desabafo e admiração extrema pela classe, digo que com a disposição exacerbada que é nossa peculiaridade juntamente com nossa condição de multifacetadas todo dia é nosso dia, concordam? Agora vejamos alguns avanços que conquistamos e o quanto ainda precisamos avançar.

São tantos conflitos que compõem o nosso cenário! Entre eles o incômodo machismo do qual nós somos as maiores responsáveis. Contudo, não é porque incorremos neste erro que devemos levá-lo para o ataúde, porque errar é humano, persistir é Bu… (você decide). Nós decidimos eliminá-lo, mas nem todos aceitam.

Dizem que somos o sexo frágil! Tirando a força bruta não devemos nada a ninguém, esta frase é de ontem porque hoje estamos avançando até mesmo nesta área, já temos várias campeãs para contrariar esse tabu, Rafaela Santos que o diga, nossa judoca que brilhantemente trouxe ouro mostrando o valor da Cidade de Deus, do negro, da mulher e, sobretudo da classe oprimida que mesmo vítima do descaso social conquista o pódio porque quem tem competência se estabelece.

Será que realmente acreditam que somos frágeis? Acredito que no intimo há uma certeza que essa afirmação é absurda. Percepção, sensatez, sensibilidade, doação extrema… Iguais à nossa nenhum ¨sexo forte¨ tem. Com tanta fraqueza ainda somos rainhas da psicologia, do lar, da educação e tantas coisas mais, diante disso constatamos que realmente estamos vivendo a era das inversões de valores.

A diferença salarial é uma grande prova do machismo, apesar de tanta evolução a disparidade salarial entre gêneros persiste, essa atitude coloca-nos diante de um terrível obstáculo, que inibe nosso empoderamento econômico, recebemos até 25,6% a menos que o homem se tem a mesma formação acadêmica, o mesmo desempenho satisfatório no exercício de qualquer profissão por que essa diferença?Podemos dizer isto é discrepância!!!!  Queremos o que é nosso por direito.

Cadê as parlamentares? Precisamos de vocês para derrubarmos esses e tantos outros tropeços que a cada dia aumentam incomodando-nos ao ponto das menos esclarecidas acharem que mulher é diferente e deve viver à sombra do ¨sexo forte¨ foi para isso entre outros problemas que te elegemos? Vamos dar as mãos e caminhar rumo aos nossos direitos que covardemente tentam excluir da nossa persona, essa é uma ação indispensável para alcançarmos autonomia nas finanças, enfim conquistarmos a sonhada e merecida igualdade de gêneros. Por que o machismo insiste em achar que os neurônios femininos são inferiores aos masculinos?

Acorda Mulher!!! Competência independe de qualquer predicado!!!

1532- Ano da primeira eleição no Brasil

1932- Início da liberação do voto feminino.

Fizeram as contas?  400 anos!!! Isso mesmo, estúpidos, machistas e incômodos 400 anos (dói a alma). Quanta aberração!!!  Mesmo assim o código permitia que as casadas só votassem com autorização do marido. Quanta intransigência!!!! As viúvas e as solteiras só votavam se tivessem renda própria. Essas restrições foram derrubadas em 1934. Querem mais absurdos?  A lista continua, no Kuwait a mulher só teve o direito de votar em 2006. Olhando para trás tem sempre alguém pior que nós, Kuwait que o diga. Que imoralidade!!!

Apesar da espera angustiante parabéns para todas nós por essa conquista tão ímpar, mas continuemos acordadas e prontas para acabar de vez com esse machismo ridículo que insiste fazer de nós um zero à esquerda, isso porque fortaleza seja qual for não nos falta, tanto que ao lado de um grande homem geralmente tem uma grande mulher, a força é tanta que transformamos mendigos em empresários, pena que muitas enterram seu potencial diante das pressões.

Acorda Mulher!!!  Mesmo com nossa “fragilidade” o pódio é nosso!!!

Outro conflito que tanto persegue a mulher é a violência em várias esferas, ela não se resume apenas aos açoites físicos, os verbais, a falta de respeito e até mesmo o sexo forçado (ainda que seja com o cônjuge) é caracterizado como violência, uns causam feridas extremas, outros dilaceram a alma, muitas vezes destruindo a vida da mulher que fica traumatizada impedindo-a de ser feliz. Essa problemática é tão estarrecedora que 85% das mulheres Brasileiras tem medo de sofrer violência sexual, fruto da estatística que aponta que 3 em cada 5 mulheres já sofreram violência amorosa, 37% delas diz ter transado sem preservativo por insistência do parceiro.

O Brasil tem 5.550 municípios, contudo temos somente 497 delegacias especializadas no atendimento à mulher, 160 núcleos especializados dentro dos distritos policiais comuns, 235 centros de referência especializados em atenção social, psicologia e orientação jurídica, 72 casas de abrigo, 91 juizados de varas especializados na violência doméstica, 59 núcleos especializados em defensoria pública e (pasmem!!!) 9 míseros núcleos especializados no Ministério Público.  Diante desse quadro tem como cruzarmos os braços?

Acorda Mulher!!! Independente dessa fusão de conflitos somos seres humanos e como tal merecemos respeito.  Avante na nossa luta!!! Mulher é mãe da esperança.

Temos consciência que é difícil, mas não impossível porque ninguém é irrecuperável. Foi com essa certeza que conseguimos transformar muitos homens em nossos parceiros domésticos, hoje eles estão muito mais conscientes quanto à compreensão e dividindo as tarefas do lar conosco. Vale ressaltar o avanço que tiveram na paternidade, aquela história de só comparecerem com a parte financeira foi abolida para muitos, parabéns para aqueles que permitiram essa mudança, não apenas as mulheres como muitos filhos estão mais felizes com essa doação de vocês.

Falemos agora da parte mais hipócrita: O racismo. Com o grande número de miscigenação que tem no nosso país ter que conviver com o racismo é no mínimo incompreensível, os donos de mentes retrógradas criaram dois dicionários: O da raça branca e o da raça negra. Tudo de depreciativo é atribuído ao negro, esse tema causa asco em qualquer um até mesmo nas pessoas mais desprovidas de entendimento. 1,5 milhão de mulheres negras são vítimas de violência. O pior de tudo é a hipocrisia. Aqui ele é velado, ele é social, ele é hipócrita mesmo. Muitos estabelecimentos vetam a entrada de negros anônimos, porém liberam para um que tem status, e o sujeito nesse caso sente-se o tal, mesmo sabendo que a concessão só foi permitida por causa da sua posição no ranking social. Por que a mulher negra é associada ao prazer sexual?

Acorda Mulher!!! Você não é escrava de nada muito menos de ninguém!!! Você não é objeto sexual!!! És simplesmente mulher como qualquer outra!!! 

Entre outros, nos anos 60 o ator Sérgio Cardoso era pintado de preto para interpretar um personagem negro. O desrespeito para com os atores negros era absurdamente imoral. Por que uma atriz negra não pode protagonizar qualquer área da dramaturgia? Será que a cor da sua pele impede-a de ser uma Fernanda Montenegro artisticamente falando?

O prêmio da Academia, ou Oscar como é mais conhecido surgiu em 1929, o mesmo já ficou dois anos sem nenhuma indicação de negros nas categorias principais, será que realmente não teve nenhum negro merecedor ou mais uma vez fomos traídos pelo racismo?

Esse ano teve a 89a Cerimônia até então sem representatividade de negros. Pela primeira vez batemos recordes nas indicações, tivemos negros em todas as categorias, sem falar que esta foi a primeira vez que três artistas negras foram indicadas para a mesma categoria: melhor atriz coadjuvante. Mostrando assim, a pluralidade racial. Os mesmos brilharam recompensando a ausência nos últimos dois anos. Parece que #oscarsowhite deu resultado.

Chega ser hilário a presença de uma única bailarina negra nos programas televisivos, isto em cumprimento da lei que obriga. Que calhordas!!! Voltemos à dramaturgia. Hoje a situação mudou um pouco, atrizes negras já estão protagonizando novelas, filmes. Porém, estamos falando da minoria, isso é pouco diante do quantitativo que existe da raça. Nós mulheres não queremos ser melhores que ninguém. Só queremos respeito e igualdade de gêneros (estou repetitiva nesse item propositalmente), para ficar bem massificado nas mentes atrofiadas. Precisamos rasgar definitivamente essa falsa democracia racial, sobretudo gritar aos governantes e a quem de interesse for: chega de paliativos!!!  Queremos soluções curativas!!!

Dá para alguém atender nosso clamor?

Mãe, Multifacetada, Única e Líder em qualquer situação

Hoje e sempre

Especial é nossa criação

Respeito? Necessitamos dele!!!

Acorda Mulher!!!

No livro da vida você é página principal!!!

*Moradora e militante social da Cidade de Deus

*Colunista do Jornal Abaixo-Assinado de Jacarepaguá

Regina Prado agora é do JAAJ


0 visualização0 comentário

Posts recentes

Ver tudo
jaajbr.png