• Jornal Abaixo Assinado

UMA PREFEITA PARA O RIO DE JANEIRO

Uma pesquisa inglesa comparou as medidas contra a Covid-19 impostas por diferentes líderes de países de população e nível socioeconômico semelhantes e concluiu que locais governados por mulheres tiveram menos casos e mortes. Há evidências que o estilo de liderança feminino tende a ser mais empático e, por isso, elas investem numa boa comunicação e gestões colaborativas. As mulheres também demonstram mais aversão ao risco, o que explicaria as respostas rápidas que essas líderes tiveram no combate à doença: ao invés de “achatar a curva”, elas decidiram “eliminar a curva”. Já os líderes homens apresentaram características narcisistas e hipercompetitivas, propensas a ações populistas, sem efeito concreto.

A cidade do Rio de Janeiro vem vivendo sucessivas tragédias ao longo dos anos. Não está na hora de uma mulher assumir o comando? Nessas eleições temos o número recorde de seis candidatas. Uma delas é Benedita da Silva (PT). Ela tem uma das trajetórias mais meritórias: de doméstica na década de 1970 a ministra da Secretaria Especial de Assistência e Promoção Social em 2003, acumulando uma experiência governamental rara. Outro destaque é Renata Souza (PSOL). Ela é herdeira das ações afirmativas que possibilitaram mulheres, negras e pobres, a construir suas carreiras profissionais de forma igualitária, e traz nessa vivência a vontade que isso deixe de ser exceção e passe a ser a regra. Por fim, destacamos a candidata Martha Rocha (PDT). Aos 23 anos, ela entrou na Polícia Civil, conhecido reduto machista e conservador. Mas isso nunca a intimidou: após 28 anos de serviço, tornou-se a primeira mulher a assumir a chefia da Polícia Civil do Estado do Rio de Janeiro. Também há as candidatas: Clarissa Garotinho (PROS), Glória Heloiza (PSC) e Suêd Haidar (PMB).

Problemas ditos insolúveis exigem novas perspectivas e mudanças de rumo. Não é mais tolerável o que estamos sendo obrigados a viver todos os dias. Vamos substituir um político narcisista por um mais empático. Que não provoque crises, mas solucione-as. Procure conhecer e escolha uma candidata que lhe represente. Vamos eleger uma prefeita para nossa cidade.

Escrito por Silvia da Costa

2 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo
jaajbr.png