• Cíntia Travassos

TAYSON PIO: UM ARTISTA COM MULTILINGUAGENS DAS ARTES CORPORAIS

Atualizado: 16 de Set de 2021

Um artista de Jacarepaguá para o mundo

Tayson Pio, morador da Praça Seca, tem 26 anos, e se considera um artista híbrido de multilinguagens no campo das artes corporais. Começou como bailarino na Aballare Studio de Dança, onde construiu e desenvolveu sua base em sapateado, jazz, balé clássico e dança contemporânea. Desenvolveu também a dança afro, com Charles Nelson e Vera Motta, e a dança moderna, no Centro de Arte Nós da Dança.


O seu corpo e movimento falam muito da sua ancestralidade, e Tayson diz “que sua carne preta e periférica carrega muito do samba, funk, axé e toda latinidade”. Paralelamente, ele investiga o teatro, canto, palhaçaria e outras linguagens, o que levou sua dança a um lugar de performance.


O jovem artista é atuante no carnaval carioca. Ele desfilou em 2019 na comissão de frente da Império da Tijuca e foi guardião de mestre-sala e porta-bandeira na São Clemente. Em 2020, desfilou em cima do carro alegórico “Em busca do ouro”, na Estácio de Sá. Também brincou o carnaval nos blocos como Amigos da Onça e Charanga Talismã.

Tayson na Comissão de Frente da Império da Tijuca em 2019.

Como sua pesquisa está em torno do corpo movimento, Tayson acha fundamental a preparação corporal, e ele vem pesquisando as práticas somáticas de Body Mind Movement (BMM), Body-Mind Centering (BMC) e Feldenkrais, nas quais se fala muito do lugar do organismo e, a partir desse


lugar, qualquer ser humano pode acontecer de várias maneiras, desde os movimentos da respiração, os batimentos do coração, até algum estilo de dança.

O maior sonho de Tayson é formar um companhia teatral na qual possa trabalhar todos os seus interesses de corpo movimento, se unindo a pessoas com os mesmos interesses e, a partir daí, criar obras autorais, conseguir viver da arte, ser valorizado e respeitado e viajar com a companhia de teatro.


A pandemia para Tayson significou uma pausa em sua vida, pois estava sobrecarregado e com muitas demandas de trabalho, e agora ele vai se ajustando a essa nova e triste realidade, mas que também teve seu lado bom: ele fez muitos cursos on-line, conheceu pessoas de vários lugares e, também, pôde refletir sobre o direcionamento de sua carreira.

2 visualizações0 comentário
jaajbr.png