• Jornal Abaixo Assinado

“SARAU NA FAVELA” É DE JACAREPAGUÁ PARA O MUNDO

Conversei longamente com a escritora e produtora Valéria Barbosa, moradora de Jacarepaguá, sobre o interessante projeto “Sarau na Favela”. Leitor e leitora do Jornal Abaixo-Assinado conheça essa brilhante iniciativa cultural em nossa região que atingiu o coração do Brasil.

Perguntei para Valéria Barbosa, o que a motivou a criar o “Sarau na Favela”? E ela respondeu: 

“Com a chegada da pandemia, que culminou no isolamento social, eu, que cantava no Coral cantando à vida, e acostumada a sair, fiquei sem saber o que fazer. Não podia sequer ir ao médico, acabara de produzir o meu terceiro CD “Oceano em mim”, e sem no que pensar diante desta situação. Não podia trabalhar as músicas nem sair para vender o livro que também tinha acabado de autoproduzir, “200 Gritos por Liberdade”. O que fazer? A prioridade era, e é, se manter viva e levar esperança. Mas como?”

Sou mulher de criar, de produzir, de sair, de cantar… Pensei nas mulheres do coral, na solidão, no medo, e resolvi produzir um vídeo para nos aproximar. Todas cantando a mesma música. Porém este vídeo levou mais de três meses para que eu conseguisse concluí-lo, porque éramos muitas, e com certa dificuldade de acesso à internet e ao manuseio com a tecnologia. Neste período de espera da conclusão do vídeo, nasceu o “Sarau na Favela”. A necessidade de me sentir atuando coletivamente, estar junto, me fez criá-lo.”

Insisti em saber da Valéria porque “Sarau na Favela”. Ela respondeu:   

“Pois é, eu não tinha me programado para fazer o Sarau nem planejado um nome, não coloquei interrogações nesta criação, apenas pensei nas diversas vezes que participei de saraus em favelas e em convidar os poetas que conheci para fazerem parte desta iniciativa, que não imaginava que chegaria a uma segunda edição.

Quanto ao nome, não poderia ser outro, eu sou Sarau na favela. Ao mesmo tempo que é um trabalho solitário em que recebo, organizo, crio a arte, faço as gravações das vozes que interligam as apresentações e disponibilizo nas redes e muito coletivo, a todo momento chegam vídeos, e me relaciono com os participantes. Procuro dar atenção individualizada a cada artista e abrir espaço para que brilhem na rede.

Eu sou assim, quieta, gosto de escrever sozinha e depois levar para o todo, sou de criar na solidão e repartir a criação com o coletivo. Pesquiso temas, lugares… Cada edição é especial. Apesar de atualmente não morar em favela, foi lá que nasci, cresci e trabalhei por mais de quatro décadas.”

Provoquei Valéria ao perguntar se ela em nenhum momento teve dúvida em relação ao nome. E ela, como sempre, foi enfática:

“Pensei em mudar o nome do sarau quando não vi a adesão de grande parte dos amigos, mas respirei fundo e pensei nas dificuldades e no meu compromisso com a difusão da cultura do nosso povo e eu, eu sou, eu vim de lá e estou aqui, a favela precisa ser vista pelo mundo, e não ficar como eu, em isolamento social.

Sem contar que a maioria da arte que estou tendo o presente de receber diariamente passei a admirar por conta do sarau. O nosso país é mágico, temos grandes talentos que estão nas diversas partes do planeta e precisam ser conhecidos. Se há rede, eu a jogo no mar para que brotem como gotas d’água e molhem os nossos olhos de prazer e admiração. Esta é a minha nova função, e eu sou mulher de trabalhar, abraço e faço acontecer, estou viva. Isto é gratidão por mim, pelos que estão no planeta e por todos que tive a bendita oportunidade de conhecer.

Então, o “Sarau na Favela” foi se desenhando por ser tão natural, por estar em mim. Assim como a poesia que habita meus pensamentos. A adesão dos amigos que conheci nas caminhadas pelos saraus da vida nas favelas não foi a que eu esperava nem a única opção para fazê-lo existir. Ele resiste, como a maioria do povo brasileiro. Povo que ilumina o nosso Sarau. Os artistas são brasileiros e/ou imigrantes.”

Valéria vibra e mistura seus sentimentos e os objetivos do projeto. Assim ela descreve o que já foi produzido:

“Nasceu o “Sarau na Favela” no dia 4 de abril de 2020, com cinco participantes, todos moradores de favela, e que se fidelizaram ao nosso elenco artístico. Hoje, em cada edição, temos no mínimo dez artistas, e isto por conta do tempo de duração de cada uma. As edições são em vídeos de, no máximo, 3,30 minutos, a não ser no caso de música, que pode se estender, gravado na horizontal e enviado para o WhatsApp 55 (21) 98891-8862, com uma micro-biografia e duas fotos.

O “Sarau na Favela” tem poetas, cantores, artesões, artistas plásticos, compositores, bailarinos, palhaço, atores, produtores culturais; são mais de 230 participantes de diversas partes do Brasil e do mundo. Estamos na 40ª edição, com mais de 600 vídeos. Além dos artistas e amigos, conquistamos parceiros: World Pulse, site internacional; Revista Literalivre, de São Paulo; Casa com a Música e Centro de Convivência Milton Nascimento; Sindicato Nacional de Compositores do Rio de Janeiro, todos na Lapa, Rio de Janeiro; e participação em grupos de literatura: “Bom dia com literatura feminina”, de Jeovânia Pereira, de Pernambuco, e “Mãos que tecem histórias”, do Sarau Catarina, de Santa Catarina; e também inspiramos a criação do Sarau da Marquesa, e o apadrinhamos.” 

Valéria está feliz e animada com as realizações e sonha com a vacina:

“Artistas ganharam novos parceiros, a ligação de parceria seguiu pelo oceano, cantores aumentaram seus repertórios e eu ganhei um novo parceiro, o Carlinhos Russo, sambista. Acabamos de fazer um samba. Eu amo este Sarau! Participamos do primeiro Fórum Favela, Cidade e Patrimônio, no dia 6 de novembro de 2020, com dez vídeos de poetas de diversas favelas do Rio de Janeiro, e da mesa de discussão do Fórum. E ainda tivemos a honra de participar com um primeiro “Sarau na Favela” on-line, no dia 8 de novembro de 2020, no Festival Ilumina Zona Oeste. Desejo que este momento passe e que tenhamos uma vacina, o mais breve possível.”

Escrito por Nélio Fernando

O “Sarau na Favela” acontece às terças-feiras, a partir das 18 horas, no Youtube. Se inscreva no canal e acompanhe na página do Facebook e Instagram.

SARAU NA FAVELA Valéria Barbosa https://www.facebook.com/saraunafavela/ Instagram: saranafavelavaleriabarbosa

2 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

MJADRA

jaajbr.png