• Jornal Abaixo Assinado

Os 160 anos da estação de Cascadura: a primeira entrada para Jacarepaguá

Estação de cascadura


‘YAKARÉ UPÁ GUÁ’ – HISTÓRIA DE JACAREPAGUÁ

Os 160 anos da estação de Cascadura: a primeira entrada para Jacarepaguá

Texto e fotos do Professor Val Costa*

O bairro de Cascadura foi, até a construção da Estação Ferroviária de Madureira (1890), a principal “porta de entrada” para a Baixada de Jacarepaguá. Os moradores da região embarcavam nos trens na Estação Dom Pedro II (atual Central do Brasil)  e desciam na Estação de Cascadura, onde pegavam os bondes puxados por burros que os conduziriam até os bairros da Praça Seca, Tanque, Taquara e Freguesia.

Cascadura, que está na Zona Norte do Rio de Janeiro, possui, segundo o censo de 2010, uma população de 34.456 habitantes, distribuídos em uma área de 283, 90 hectares. Seu Índice de Desenvolvimento Humano é de 0,833,  sendo o 65º maior dentre os 162 bairros da nossa cidade.

Avenida Ernani Cardoso


Até o final do século XVIII, essa localidade estava no encontro do Engenho de Dentro com o Engenho da Portela e a Fazenda do Campinho, sendo atravessada pela antiga Estrada Real de Santa Cruz, uma via que ligava o Rio de Janeiro até o atual estado de Minas Gerais. A Praça Nossa Senhora do Amparo, a principal de Cascadura, ficava justamente em um dos pontos dessa via.

Praça Nossa Senhora do Amparo


Existem três versões para o curioso nome desse bairro carioca. A primeira está relacionada com o passeio que a escritora inglesa Maria Dundas Graham Callcott fez até a Fazenda Real de Santa Cruz. Quando escreveu sobre essa viagem, fez referência ao local como “Casca d’Ouro”. A segunda vincula a toponímia do bairro a um comerciante português que tinha fama de ser “pão-duro”, por isso seria uma “casca dura” quando negociava os seus produtos. Por fim, a mais conhecida relaciona-se com a construção da estrada de ferro nessa localidade.  Foram encontradas muitas dificuldades para abrir o caminho pelo qual passariam os trilhos. A região foi logo apelidada de “casca dura” pelos operários da obra.

A chegada da linha férrea, em 1858, possibilitou o adensamento populacional e o aparecimento de diversos estabelecimentos comerciais no bairro, onde funcionava o entreposto de cargas dos trens vindos de São Paulo. No final do século XIX, muitos agricultores de Jacarepaguá percorriam a Rua do Campinho (atual Avenida Ernani Cardoso) para venderem os seus hortifrutigranjeiros em Cascadura.

Entrada do Hospital Nossa Senhora das Dores o primeiro do Brasil somente para pacientes com tuberculose


Em 1883, foi inaugurado no bairro o primeiro hospital brasileiro dedicado exclusivamente ao tratamento de tuberculosos: o Hospital Nossa Senhora das Dores. Nas dependências desse hospital existe a Capela de Nossa Senhora das Dores. Construída em 1917, a mesma possui belíssimos vitrais franceses.

Em 1958, na esquina da Avenida D. Hélder Câmara com a Rua Iguapé, foi inaugurado o prédio da Associação Comercial de Cascadura. Esse edifício foi construído no lugar do Hotel dos Viajantes, uma pousada que hospedava o Imperador D. Pedro II em suas viagens pela Estrada Real de Santa Cruz.

Associação Comercial de Cascadura ACEIC NORTE


Cascadura foi o primeiro local do Brasil a receber um estabelecimento comercial de autosserviço, que futuramente seria conhecido como supermercado. Isso aconteceu no início da década de 1950, através da iniciativa do carioca Nelson da Rocha Deus. Infelizmente essa experiência não obteve êxito, pois muitos clientes furavam as embalagens para se certificarem dos seus conteúdos e ainda saiam sem pagar as mercadorias. Era um período em que os brasileiros estavam acostumados com os armazéns e as suas cadernetas, onde eram registrados os débitos das famílias, quitados quase sempre no final de cada mês.

*Professor e Historiador

0 visualização0 comentário

Posts recentes

Ver tudo
jaajbr.png