• Valéria Barbosa

O MEU DIA DE SER MULHER

Atualizado: 18 de jul. de 2021

Ao me diferenciar do homem por ser mulher noto a importância da ciência e o quanto um cromossoma faz a diferença na vida de um ser.


Por ser mulher fui rejeitada e gritei para ser homem!


Por ser mulher resolvi que a voz seria a minha arma!


E usei o meu silêncio e o meu canto para ser.


Existir como pessoa.


Transformar a minha voz em palavras devo apenas a um cromossoma, um forte rosa choque

me deu está força.


Mas como saber a diferença se não tivesse dentro de mim 49 cromossomas masculinos?


Jamais saberia, pois se fui menino para ser mulher.


Desta ação de mulher decidi ser fêmea.


E por ser fêmea quis ser zeladora dos santos da favela,


Sou zeladora dos santos encarnados dos guetos marginalizados.


Sou zeladora destes santos somente por ser mulher.


Por sentir que os santos filhos que pari precisam estar no mundo santo dos filhos que eu não pari.


Não desisto em brigar por mais um cromossoma masculino, pois se tenho dentro de mim parte porque não defender os tantos que andam nas ruas sem destino?


Os meus cinquentas femininos toques da alma convivem com as cinco décadas de olhares nos meninos e meninas da vida.


Por ser mulher escolhi lidar apenas com um gênero que cultivasse toda a minha ação, o da criança, pois que nela o azul e o rosa formam o lilás da transformação e o do idoso cujo o tempo não subtrai o desejo de amar e multiplica o saber.


E aí, hoje, plena na paz interior, esta mulher pode falar que muito lutei escolher a minha forma de estar no mundo. Eu escolhi ser apenas feliz.

1 visualização0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Um dos setores que sofreram com a pandemia foi a cultura, e vários artistas, agentes culturais, fazedores de cultura, museus, espaços culturais, teatros, cinemas, entre outros, tiveram suas atividades

jaajbr.png