• Maraci Soares

MULHERES DE LUTA DA COLÔNIA, VILA AUTÓDROMO E CAMORIM

Atualizado: 15 de set. de 2021

“As mulheres têm exercido um papel importante na luta contra os avanços de megaeventos, grandes obras e megaempreendimentos na cidade do Rio de Janeiro. Mascaradas pelo discurso do desenvolvimento, essas ações têm destruído territórios, e junto com eles os modos de vida que ali se reproduzem. A destruição se opera através de remoções – que passam por cima de casas, histórias e relações diferenciadas com a terra – e pela violação cotidiana do direito de ir e vir, da liberdade de expressão, da cultura e da própria vida de moradores, especialmente de favelas”. Daí, nada mais justo e grandioso que homenagear essas mulheres das lutas populares. E, foi o que aconteceu na noite do dia 6 de julho, no salão nobre do IFCS UFRJ, no Largo de São Francisco.

Recebeu a Medalha Pedro Ernesto a companheira Maria da Penha Macena, a guerreira Dona Penha, moradora da Vila Autódromo, na luta incansável contra a remoção da comunidade e contra as violências e arbitrariedade dos governos Cesar Maia, Conde e Eduardo Paes. Uma justa homenagem da Câmara Municipal do Rio de Janeiro, proposta pelo atuante vereador Renato Cinco (Psol).


Foram também homenageadas com entrega de Moções de Louvor pelas lutas incessantes em defesa de suas comunidades e do povo oprimido as companheiras Gizele Martins (lutadora da Maré), Jane do Nascimento (lutadora da Vila Autódromo), Jane Camilo (lutadora de Manguinhos), Dona Rita (lutadora da Colônia Juliano Moreira) e eu, Maraci (lutadora do Quilombo do Camorim e do JAAJ).


Emocionada e feliz estou com a singela honraria porque homenagear essas mulheres é valorizar a luta coletiva por uma cidade livre de opressões e de desigualdades.

Essa cidade é nossa e não do capital!

0 visualização0 comentário

Posts recentes

Ver tudo
jaajbr.png