• Jornal Abaixo Assinado

Mudança de nomes das ruas da comunidade Esperança  

Um belo loteamento e lindas casas construídas através da luta popular


COMUNIDADE ESPERANÇA LUTA POR NOMES DAS RUAS 

A comunidade Esperança, um loteamento com 70 casas construídas em parte em regime de mutirão na Colônia Juliano Moreira, além de buscar  melhorias para o empreendimento, com o Projeto Casa Saudável, agora está empenhada também em aprovar, na Prefeitura, a mudança dos nomes atuais de ruas pelos escolhidos por moradores em assembleia comunitária. São nomes de pessoas que contribuíram nas lutas sociais.

Nomes propostos:

  1. Rua Projetada “B”: avenida Eduardo Palha (indicação Prefeitura)

  2. Rua Projetada “C”: rua Araras Claras (mantém-se a indicação Prefeitura)

  3. Rua Projetada “D”: rua Doutora Maria Eliana Augusta (indicação Esperança)

  4. Rua Projetada “E”: rua Alcir Mattos (indicação Esperança)

  5. Rua Projetada “F”: rua Maria Laura C. de Mattos (indicação Esperança)

  6. Rua Projetada “G”: rua Simone de Beauvoir (indicação Prefeitura)

  7. Rua Projetada “H”: rua Sebastião Delfino Jr. (indicação Esperança)

  8. Rua Projetada “I”: rua Maria Avelino (indicação Esperança)

  9. Rua da Lateral: rua Moacir de Oliveira da Silva (indicação Esperança)

  10. Praça “A”: Adonai

Na Prefeitura, o processo caminha lentamente para aprovação da proposta dos nomes para as ruas por indicação da comunidade Esperança, na Colônia.

Comunidade Esperança presta homenagem aos que lutaram pelo povo brasileiro

Rua Doutora Eliana Augusta de Carvalho Athayde

Doutora Eliana Athayde era uma advogada com atuação firme em favor dos oprimidos. Com intensa participação na Pastoral das Favelas, defendendo as comunidades ameaçadas de remoção, foi uma das inspiradoras e fundadoras do Centro de Defesa dos Direitos Humanos Bento Rubião. Também teve intensa participação na elaboração da Constituição de 1988. É uma das redatoras do Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA). Além de advogada com amplo conhecimento em Direito Fundiário, se destacou nas lutas pela Reforma Agrária e pelo Direito à Terra e à Habitação. Com vigor, trabalhou incansavelmente até depois de seus 80 anos.

Rua Alcir Mattos              

Alcir Ferreira Mattos foi um valoroso militante das causas populares na transformação social do Brasil e do mundo. A história dos movimentos populares no Pará se confunde com a história de Alcir “Mattos do Mundo”. No dia 8 de maio de 2014, os Movimentos Populares do Brasil perderam um dos seus grandes expoentes, uma liderança atuante  na  fundação da Central de Movimentos Populares (CMP), do Movimento Nacional de Luta Pela Moradia (MNLM), da União Nacional por Moradia Popular (UNMP) e do Fórum Nacional de Reforma Urbana. Foi Conselheiro Estadual das Cidades e Conselheiro Nacional das Cidades, representando a UNMP e o Pará, desde o primeiro mandato do Concidades até a sua morte.

Rua Maria Avelino            

Dona de casa e mãe solteira de dois filhos, Ana Maria se transformou numa liderança respeitada pela comunidade do Projeto de Habitação Ipiiba e pela Associação Habitacional São Pedro de Alcântara, por causa de sua dedicação comunitária, bondade e solidariedade. Uma mulher de luta! Participou ativamente dos mutirões de construção das casas e foi coordenadora de mobilização do Projeto de Ipiiba, no qual desempenhou ações voltadas às atividades culturais, à articulação dos moradores do condomínio para discutir os problemas de água, horta comunitária e projetos de geração de renda. Aninha, como era conhecida, foi uma militante defensora da autogestão, das causas populares e por melhores condições de vida. Ana Maria Avelino da Silva morreu com 42 anos, no dia 25 de março de 2010.

Rua Moacir de Oliveira da Silva

Moacir de Oliveira era um cidadão que lutava pela ampliação dos direitos. Sempre empenhado em resolver os problemas do local onde morava, sonhava com um bairro bem-estruturado e com os serviços públicos essenciais funcionando adequadamente. Fundou a Associação de Moradores da Vila Paraíso, no bairro da Taquara, e também teve importante participação na criação da Zonal Barra-Jacarepaguá, da Federação das Associações de Moradores do Estado do Rio de Janeiro – Famerj. Nos anos 1980, atuando com a Famerj, contribuiu na criação do Núcleo de Regularização de Loteamento na Prefeitura do Rio. Moacir de Oliveira da Silva faleceu no dia 26 de outubro de 2002, aos 75 anos, e será sempre lembrado com carinho por todos pela sua generosidade e pelas lutas comunitárias.

Rua Maria Laura

Maria Laura Constância de Matos, mais conhecida como Dona Laura, dedicou sua vida a família, a ajudar aos mais necessitados e a comunidade católica. Tinha uma intensa participação na Paróquia Sagrada Família, na Taquara. Auxiliava no Asilo São Francisco de Paula. Atuava nos Círculos Bíblicos pregando a palavra de Deus e seus ensinamentos nas comunidades da região. Sempre que realizava o Círculo Bíblico também se preocupava com problemas das pessoas pobres e das necessidades comunitárias.  Assim, foi uma das primeiras pessoas a semear e apoiar a luta da comunidade Jardim Shangrilá, um exitoso projeto habitacional desenvolvido pelos próprios moradores na Taquara. Dona Laura faleceu em 23 de agosto de 1992.

0 visualização0 comentário

Posts recentes

Ver tudo
jaajbr.png