• Jornal Abaixo Assinado

Mais um verão se aproxima e a Taquara está cada vez mais quente!

o caos no trânsito é mais um impacto na região

o caos no trânsito é mais um impacto na região


Taquara no verão será mais quente

*Por Leandro Ribeiro

Falando especificamente da Taquara, a construção da estação “Taquara” para o BRT impactou de diversas formas a paisagem do local. Quem transitapor ali sabe disso e, se fizer uma busca singela na memória, vai se lembrar de como era antes e comparar com hoje, sentindo a diferença. Paisagem, segundo alguns geógrafos, é tudo aquilo que seu campo de visão te permite enxergar ao apontar para determinada direção. Embora, o verbo “enxergar” aí, nessa situação, perpassa pelo sentido da visão, do reconhecimento do que está sento visto. Pelo sentido do olfato, o odor que se emprega àquele local específico. Do tato, ou seja, de quando se sente o calor ou o frio, a brisa ou a calmaria daquele determinado lugar. E, por último, da audição, ou seja, do som que aquele lugar específico te remete. Todos esses sentidos foram impactados com a construção da estação Taquara, transformando assim o que se entende como a paisagem daquele local. Porém, um dos impactos mais significativos que a obra trouxe para quem convive na região, foi o ambiental. A mudança de temperatura, mais precisamente da sensação térmica, foi abrupta depois da chegada de uma quantidade significativa de concreto.


brt-da-taquara

Cada superfície possui um albedo específico. O albedo é a capacidade que tal superfície tem de refletir a radiação solar. Uma superfície com vegetação tem um albedo menor que uma superfície com gelo, por exemplo, pois o gelo reflete quase que a radiação toda. Por isso, uma superfície carregada de concreto, cujo qual tem o albedo baixíssimo, é extremamente capacitada para absorver a radiação solar e transforma-la em calor, fazendo com que a sensação de quem está perto seja de muito mais calor do que a real temperatura está mostrando. Além disso tudo, para que se tenha uma quantidade considerável de concreto e asfalto, é quase que regra a retirada de árvores que “atrapalham o progresso”. Porém, retirando a vegetação, a sensação térmica se eleva mais ainda, pois a umidade dela provinda ajuda a regular a temperatura. Outro fator que influencia diretamente na temperatura é a quantidade de automóvel que circula pela região e, agora, depois da obra onde se estreitaram as vias por conta da passagem do BRT no centro delas, de forma mais lenta. Muitos automóveis juntos, principalmente nos horários de pico, onde o trânsito desse local literalmente para, também ajuda para o aumento da sensação térmica de quem está na localidade, por conta dos seus motores ligados e pela quantidade de combustível fóssil queimado, emanando dióxido de carbono para o ambiente.

Portanto, é fato sabido que o planeta passa por mudanças em suas configurações climáticas e também é fato sabido que o Brasil se encontra numa zona global onde a incidência de radiação solar é grande, principalmente o Rio de Janeiro, que por sua vezse encontra no nível do mar, onde a temperatura é maior ainda por conta da pressão atmosférica. Junto à isso, todos essas problemáticas supracitadas, fica quase que impossível a sobrevivência com qualidade nos meses em que a estação verão se instala. “Menos cimento, mais sentimento.”

*Graduando em Licenciatura Plena em Geografia. Universidade do Estado do Rio de Janeiro – Faculdade de Formação de Professores/SG. Morador da Taquara, sub-bairro de Jacarepaguá.

0 visualização0 comentário

Posts recentes

Ver tudo
jaajbr.png