• Jornal Abaixo Assinado

IMPEACHMENT CONTRA BOLSONARO: JÁ!

Atualizado: 22 de ago. de 2021

O vírus é mortal. Até então, julho de 2020 contabilizava o maior número de mortes da história da pandemia no país, com 32.912 óbitos. Mais vidas brasileiras perdidas para a COVID-19 com a marca de 62.918 vítimas fatais registradas em março de 2021. Um triste recorde. Em 10 de abril de 2021 alcançamos mais de 350 mil mortes por COVID-19 no Brasil. Em 08 de abril um assustador recorde de 4.249 mortes registradas em 24 horas. 


Pelo andar da carruagem o Brasil poderia atingir a cifra de um milhão de mortos por covid-19 até outubro de 2021 se as condições atuais se mantiverem: alta mobilidade no território nacional, novas variantes e vacinação lenta, de acordo com um estudo realizado pelo cientista social russo Alexei Kouprianov.


O que faz o governo e os deputados e senadores do Centrão? Aprova o pior Orçamento da história. Foram destinados 26 bilhões para emendas parlamentares e com cortes nas áreas de saúde, previdência, agricultura familiar e outros. O montante destinado para a Defesa é cinco vezes maior que os recursos para o Sistema Único de Saúde (SUS). Para a deputada federal Talíria Petrone (PSOL-RJ), “o Orçamento votado no dia 25 de março não está à altura das urgências que estão colocadas para a sociedade brasileira. Ele não responde ao maior momento de crise sanitária que as gerações vivas já experimentaram. Não responde à ampliação da pobreza. Não é um Orçamento que responde às demandas populares, que responde à tragédia que está em curso no Brasil. Mais de 300 mil pessoas perderam a vida e estão com as famílias em luto. E nós aqui, a partir de emendas inclusive individuais, estamos priorizando direcionar recursos para obras em estados. E, desculpe-me a sinceridade, no meu ponto de vista, isso é para fazer curral eleitoral. Não dá.”


Por isso, nessa edição do Jornal Abaixo-Assinado o artigo do colunista Marcus Aguiar, na página 4, tem o intuito de chamar atenção das ações insanas do presidente Jair Bolsonaro em relação a maior crise sanitária do país.


Bolsonaro é o incentivador de aglomerações, faz campanha contra vacina, faz campanha em favor de medicamentos que não têm comprovação alguma cientificamente no combate a covid, demorou na compra de vacina, não tem projeto público sanitário para o país. As posturas de Bolsonaro demonstram que ele não tem compromisso com a vida do povo brasileiro. Seu governo agrava a crise sanitária, amplia as dificuldades de acesso à saúde e impede investimentos nas áreas para atendimento da população. 


Finalmente foi criada a CPI da Covid, proposta feita pelo senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP), estipula que essa comissão parlamentar de inquérito investigará ações e omissões do governo federal no enfrentamento da pandemia e o colapso da saúde no estado do Amazonas no começo do ano. Esperamos que a CPI da Covid não acabe em pizza.       


O Brasil não dá sinais de recuperação dos efeitos econômicos da pandemia, e 2021 está sendo um ano de radicalização da pobreza e das desigualdades. Podemos classificar como crime de responsabilidade do governo Bolsonaro em relação à gestão da crise, potencializada pela pandemia. Portanto, o afastamento de Bolsonaro deve ser tratado como uma urgência humanitária. Impeachment contra Bolsonaro: JÁ! 

0 visualização0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Luís Roberto Barroso, durante seu discurso de despedida da presidência do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), no dia 17 de fevereiro, afirmou que a liberdad

jaajbr.png