• Renato Dória

IHBAJA REALIZA 2ª EDIÇÃO DA CAMINHADA ECO-HISTÓRICA

Atualizado: 9 de Ago de 2021

O Instituto Histórico da Baixada de Jacarepaguá (IHBAJA) realizou, em 11/2/2017, a 2a edição da Caminhada Eco-histórica. Foi uma atividade de visita guiada aos atrativos históricos e naturais da vertente sul do maciço da Pedra Branca (no bairro Vargem Grande), organizada em conjunto com a Associação de Moradores Quilombo Vargem Grande, os coletivos JPA-Afrocultural e Gaia Viva.

A atividade teve início às 9 horas, no Largo de Vargem de Grande, com apresentação dos organizadores e dos participantes. Em seguida, o grupo seguiu pela estrada do Mucuíba até o início do caminho do Cafundá. A atividade foi conduzida por Sandro Santos (Associação de Moradores Quilombo Vargem Grande), Renato Dória (Instituto Histórico da Baixada de Jacarepaguá) e Júlio Dória (Colégio Estadual Professor Theófilo Moreira da Costa e JPA-Afrocultural).


Além da Caminhada Eco-Histórica, os participantes conheceram a Comunidade Remanescente de Quilombo Cafundá Astrogilda, visitaram a sede do Quilombo e as futuras instalações do Eco-Museu da Cultural Afrodescendente local. Ao longo da visita guiada, o grupo teve vários momentos de bate-papo e, ao final, desfrutaram dos atrativos naturais da região, como a vista panorâmica do Recreio dos Bandeirantes, a partir de um mirante, estiveram na roça de agricultores do local, além de tomarem banho de cachoeira.

Atualmente, a cidade do Rio de Janeiro tem quatro Comunidades Remanescentes de Quilombos certificadas pela Fundação Cultural Palmares. As duas mais conhecidas estão localizadas em áreas urbanizadas, ou seja, são quilombos urbanos: o da Pedra do Sal, na zona Portuária, e o Sacopã, na Lagoa, Zona Sul da cidade. As outras duas, menos conhecidas, estão situadas na Zona Oeste: são as comunidades Quilombola do Camorim, situada no mesmo bairro, e a Cafundá Astrogilda, em Vargem Grande. Esta última, certificada em 2014, foi a mais recente a ser reconhecida pela Fundação Palmares.


E uma característica relevante do Quilombo Cafundá Astrogilda é guardar, até hoje, aspectos rurais, e muitas famílias que moram lá ainda praticam agricultura de subsistência, o que contribui, também, para o abastecimento do mercado local de alimentos: abóbora, aipim, inhame, banana, limão e diversas hortaliças são cultivadas por lavradores do quilombo.


No local há mais de 200 anos, as famílias de moradores do quilombo Cafundá Astrogilda preservam uma herança cultural de grande importância, não somente histórico-cultural, mas, sobretudo, econômico-social. Elas confirmam a importância da contribuição da agricultura familiar na produção de alimentos saudáveis e sem agrotóxicos para o consumo dos moradores da região.

0 visualização0 comentário

Posts recentes

Ver tudo
jaajbr.png