• Jornal Abaixo Assinado

DENÚNCIAS CONTRA EDUARDO PAES, MARCELO CRIVELLA E WILSON WITZEL: POBRE RIO DE JANEIRO

Atualizado: 22 de Ago de 2021

O Rio de Janeiro continua lindo. Todavia, a violência, o tráfico de drogas e os grupos de extermínios persistem. Povo pobre sofre nas portas de hospitais, com o desemprego e a carestia em alta. Soma-se, a isso tudo, a corrupção dominando todos os níveis dos poderes no executivo, legislativo e judiciário.


Num momento em que a população do Rio tanto necessita de políticas públicas para ampará-la contra os impactos da COVID, que agravam ainda mais a crise social que vivemos, nossos governantes dão claras demonstrações de que não se importam com a vida dos cidadãos e cidadãs cariocas e fluminenses.

Assistimos as batidas policiais e do Ministério Público nos gabinetes de políticos, magistrados e dos governantes que estão sendo investigados por corrupção.  Delegados e promotores vasculharam as casas e gabinetes de Crivella, Eduardo Paes e Wilson Witzel em tempos de pandemia.


Investigação sobre suposto ‘QG da Propina’ na Prefeitura do Rio


Força-tarefa do Ministério Público e da Polícia Civil investiga suposto esquema de corrupção na Prefeitura do Rio, expediu  22 mandados de busca e apreensão – um deles contra o prefeito Marcelo Crivella, que teve o celular apreendido.


A ação é um desdobramento da Operação Hades, deflagrada em março deste ano, na qual Marcelo Alves, ex-presidente da Riotur, o irmão dele, Rafael Alves, apontado como um dos homens de confiança do prefeito; e Lemuel Gonçalves, ex-assessor de Crivella, foram os principais alvos. 


Investigação contra Paes na Justiça Eleitoral


Eduardo Paes (DEM-RJ), ex-prefeito do Rio, foi alvo de um mandado de busca e apreensão no dia 8 de setembro e se tornou réu na Justiça Eleitoral por três crimes: corrupção passiva, lavagem de dinheiro e falsidade ideológica eleitoral. 


Segundo a denúncia do Ministério Público Eleitoral, aceita pela Justiça Eleitoral, Paes recebeu R$ 10,8 milhões de vantagens indevidas, via caixa dois, para sua campanha à reeleição à prefeitura do Rio em 2012.


Governador afastado e secretário de saúde preso em plena pandemia


O governador Wilson Witzel está sendo investigado por corrupção e foi afastado do governo após a operação Tris In Idem, que investiga irregularidades e desvios em recursos da saúde do Rio de Janeiro. 


A Procuradoria Geral da República (PGR) afirma que o governo do RJ estabeleceu um esquema de propina para a contratação emergencial e para liberação de pagamentos a Organizações Sociais (OSs) que prestam serviços ao governo, especialmente nas áreas de Saúde e Educação.


A PGR denunciou no dia 28 de agosto o governador do Rio de Janeiro, Wilson Witzel (PSC), a primeira-dama, Helena Witzel, e outras 7 pessoas por corrupção ativa e passiva e lavagem de dinheiro.


Lutar é preciso


O que acontece na política do Rio de Janeiro é um desrespeito com o povo trabalhador dessa cidade e desse estado. É inacreditável que os governos de Marcelo Crivella  e Wilson Witzel tenham chegado tão longe com tantos escândalos de corrupção e improbidade.


O JAAJ, claro, é a favor de que esta situação seja investigada e todos os fatos apurados. Seguimos em busca de justiça e de um futuro melhor para o povo fluminense e carioca.

0 visualização0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

A CPI da Covid é o maior documento histórico produzido no Brasil sobre a pandemia. No futuro, poderemos consultar seus arquivos para entender como um governo desalmado foi respons

Está lá no bendito relatório da CPI da Covid que Bolsonaro atrasou a compra de vacinas, rejeitou o uso de máscaras, condenou as regras de isolamento, tentou a imunidade de rebanho, pregou o uso de rem

jaajbr.png