• Jornal Abaixo Assinado

Cantinho do Vovô: O sítio dos Novos Baianos em Jacarepaguá

Banda que revelou Moraes Moreira morou em Vargem Pequena nos anos 70

Por Lucas Vieira

Novos Baianos - Rafael Dolinski - http://www.rafaeldolinski.com

Novos Baianos – Rafael Dolinski – http://www.rafaeldolinski.com


Na Estrada dos Bandeirantes nasceram duas importantes obras da música nacional. Em 1971, uma turma de hippies, metidos a sambistas e roqueiros, coloriu Jacarepaguá com um batuque de matar. No sítio Cantinho do Vovô, os Novos Baianos construíram uma comunidade hippie onde, além de muita paz, amor e futebol, fizeram os discos Acabou Chorare (1972) e Novos Baianos F.C (1973), dois dos maiores LPs do país.

Antes de se mudarem para o sítio, onde moraram por seis anos, os músicos viviam em um apartamento em Botafogo, desde que vieram da Bahia. Lá também moravam seus cônjuges, amigos e filhos. Com a repressão da ditadura, aqueles cabeludos com roupas psicodélicas estavam chamando muita atenção e ficando visados.

Essa foi a razão dessa grande banda migrar para Jacarepaguá. Em um canto de paz, onde desfrutaram de uma vida comunitária e jogaram muita bola, o grupo gravou no ano seguinte Acabou Chorare. O álbum mistura samba, frevo e bossa-nova com guitarra, trouxe clássicos como “Preta, Pretinha” e “Mistério do Planeta” e sempre aparece em listas de melhores discos.

Na mesma onda, gravaram em 1973 Novos Baianos F.C, álbum que traz canções igualmente lindas, como “Com Qualquer Dois Mil Réis” e a versão pauleira de “Samba da Minha Terra”, transformando um samba em uma das melhores gravações nacionais de rock.

Há também um documentário de mesmo nome, de Solano Ribeiro, que mostra o dia-a-dia do grupo nessa fase. É uma linda visão de uma comunidade hippie no Brasil e do período mais fértil de uma das melhores bandas da nossa música.

0 visualização0 comentário

Posts recentes

Ver tudo
jaajbr.png