• Jornal Abaixo Assinado

Cadê minha linha de ônibus, Crivella?

Crivella, cadê as linhas de ônibus?

Por Ivan Lima*

Fotos de Cássio Joffily**

Várias linhas de ônibus simplesmente desapareceram na cidade do Rio de Janeiro. Muitos moradores do subúrbio estão pagando o dobro das passagens, na segunda baldeação, em três horas nos BRTs e linhas alimentadoras. Depois do corte de mais de 54 linhas, demitiram três mil rodoviários, aproximadamente, e promoveram a lotação do BRT Transcarioca e Transolímpica.

O JAAJ fez um levantamento das linhas que desapareceram na Baixada de Jacarepaguá, confira:

  1. 808

  2. 806A

  3. 815ª

  4. 758

  5. 953

  6. 734

  7. 702 (antiga 952 – VilaValqueire)

  8. 760 (Freguesia – Madureira)

  9. 890ª (Tanque – Alvorada via Retiro dos Artistas)

  10. 832 (Colônia – Barra da Tijuca)

  11. 266 (Cidade de Deus – Rodoviária)

  12. 754 (Sulacap – Barra)

  13. 701 (Madureira – Alvorada)

  14. 747 (Madureira – Vargem Grande)

  15. 749 (Vargens\Recreio – Cascadura)

  16. 764 (Pau da Fome – Madureira)

  17. 763 (Santa Maria – Madureira)

  18. 762 (Colônia – Madureira)

  19. 761 (Jardim Boiúna – Madureira)

Lucram mais com menos ônibus, viagens lotadas e tarifas mais caras. Não é a redução da tarifa que provoca os cortes no transporte, é a DECISÃO POLÍTICA de que só a classe trabalhadora e os mais pobres devem pagar. Enquanto os mais ricos, políticos e empresários do setor não pagam nada. E estes últimos ainda ameaçam cortar mais linhas, frotas, o reajuste salarial dos rodoviários, as gratuidades e o Bilhete Único.

A indignação prospera em Jacarepaguá em virtude da suspensão das linhas de ônibus. A lista é extensa em Jacarepaguá, Vila Valqueire, Barra da Tijuca, Recreio dos Bandeirantes, Camorim, Vargem Pequena e Vargem Grande.

O caos aumentou no governo Crivella

Os moradores do bairro Pechincha estão revoltados. Primeiramente, havia a linha 266, que foi alterada, e diminuída sua rota para a 353 e posteriormente a 953A. Depois, sem aviso prévio, retiraram de circulação a linha 953A. A partir disso, a linha 890A começou a trafegar pelas ruas Retiro dos Artistas e Edgar Werneck, na Cidade de Deus. Neste mês, entretanto, a linha 890A também passou a não circular mais. Resultado: quem mora na rua Retiro dos Artistas, no Pechincha, não tem condução para os BRTs ou para qualquer outro lugar, sempre que necessita, pois a linha 600SV, que foi colocada para fazer o trajeto, em substituição à 890A, passa apenas a cada duas horas.

Outros descasos, referem-se às promessas, feitas há muito tempo, de que a linha 636 voltaria a ter o ponto final no bairro Gardênia Azul — mas até o momento, isso não aconteceu; ao trajeto da antiga linha 353, que foi encurtado; e aos carros da linha 766, que vai para o Shopping de Madureira, que não têm ar-condicionado, além de demorarem muito para passar e, quando chegam, já estão lotados.

Tarifa Zero já

E para dificultar ainda mais a vida da população, o Consórcio Transcarioca, leia-se Redentor, age como quer. Atualmente, a Viação Redentor detém várias linhas da Litoral Rio — 390, SV390, 380, 859, 890, 611, 880 e 600 —, com tarifas caras, ônibus velhos e sem ar-condicionado.

Aliás, cabe ao governo Crivella ser mais rigoroso na fiscalização, agir e ter uma política pública clara, porque o povo está cansando de omissão e conluio entre os poderosos. E por essas razões, é que a população defende a TARIFA ZERO, que significa mais transporte, pela redução do custo por passageiro, não fazendo sentido lotar viagens para lucrar, uma vez que o lucro vem da rodagem. A Tarifa Zero possibilitaria mais ônibus, mais economia para o trabalhador, mais empregos e liberdade de ir e vir.

* Coordenação do JAAJ

**Fotográfo

0 visualização0 comentário

Posts recentes

Ver tudo
jaajbr.png